terça-feira, 11 de novembro de 2008

Brega

Gosto quando fico impulsivo. gosto quando falo pelas tabelas, quando sorrio sem motivo e faço planos nem tão planejados assim. Gosto de me aventurar pelo novo, de escutar repetidas vezes a mesma música, again and again. Gosto de me sentir confiante nas minhas conquistas, coerente com minhas convicções, presente com meus amigos, tantos deles, tantos tão longe. Gosto de abraçar a minha mãe, meu pai, irmãos, vó, o meu sobrinho tão fofo. Gosto de não sentir medo, medo que sufoca, medo que angustia, medo que nos deixa tão bregas para o mundo.

E eu tô tão brega ultimamente.

Mas eu gosto.

Um comentário:

Pitango disse...

Esse medo na verdade é um desafio, é nele que se cria coragem pra o que der e vier, e aí ver no final que tudo valeu a pena!

Abção, Gus.
http://www.lenfantdeboheme.blogspot.com/