sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

somos todos poetas

valho-me dos sonhos indizíveis
dos momentos inesquecíveis, muitos deles.
trago a certeza das horas bem-vindas,
dos dizeres inconfessáveis,
das confissões desmedidas.

na negativa das ações, basta a tentativa.
uma vontade não-vivida ou não-ouvida?
racionais e emotivos, somos todos poetas;
um (des)prazer (in)útil de sentimentos,
uma catarse do que somos e queremos ser.

Um comentário:

Pitango disse...

Sempre uma catarse do que somos e queremos ser.

Abço
Pitango
http://www.tchubaduba.blogspot.com/