quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

desconstrua.

desconstrua. faça pequenas partes. compreenda cada vírgula, cada gesto, cada é. pois intransitivamente é. intransitivamente está perdido entre o certo e errado, o sim e o não, entre os achismos. mas não há mais espaço para o meio termo, não há mais espaço! desconstrua, para assim construir novamente.perceba o limite, o meio, o alicerce e todas estas pequenas partes que lhe compõe.

Um comentário:

Natane Tamasauskas disse...

e sinto, agora, a necessidade de desconstrução. já a senti tanto. mas nunca é tarde para sentir de novo, certo?
amo horrores.